Por Onde Começar os Estudos de Inglês?

This slideshow requires JavaScript.

Muitas pessoas que tomam a decisão de estudar inglês fazer as seguinte perguntas: Por onde devo começar os estudos de inglês? O que devo estudar primeiro? Que sequência eu sigo? Que recursos utilizar? Para que lado ir? Se você tem essas dúvidas e outras tantas parecidas, esta dica poderá ajudar a resolver parte dos seus problemas.

Além dela, você poderá muito mais em Dicas de Inglês para Ser Fluente.

1. Estabeleça um Objetivo

A primeira coisa que você deve fazer é estabelecer um objetivo. Muita gente acha isso estranho. Afinal, o objetivo é aprender inglês. Então, como é que vou estabelecer um objetivo para aprender inglês?

O que eu sugiro com isso é que você anote em um papel qual é a razão pela qual você quer aprender inglês:

  • É para fazer uma prova de mestrado ou doutorado?
  • É para se dar bem no mercado de trabalho?
  • É para fazer uma viagem de turismo?
  • É para fazer um exame de proficiência internacional?

Enfim, para que exatamente você quer aprender inglês? Qual é o seu objetivo final? Quais são seus planos em relação ao aprender inglês? Você vai precisar de inglês para quê?

As pessoas geralmente dizem que querem aprender inglês para isso tudo. Ninguém quer aprender pela metade. O negócio é ser capaz de estabelecer contato em inglês em todos os casos. Assim, acabam estudando para tudo. Eu não tenho nada contra isso. No entanto, para começar a estudar inglês e perceber o seu desenvolvimento, o ideal é que você defina o que você quer a curto, médio e longo prazo.

  • Primeiro: aprenderei a me comunicar em situações básicas do dia a dia;
  • Segundo: ampliarei os meu conhecimentos estudando também temas relacionados à minha formação;
  • Terceiro: passarei a ampliar o meu vocabulário para poder participar de conferências internacionais, cursos, etc.;
  • Quarto: aventarei a hipótese de fazer um exame de proficiência

Para deixar isso tudo mais fácil, você pode estabelecer micro-objetivos que ajudarão você a atingir o(s) seu(s) objetivo(s) maior(es). Deixe-me dar um exemplo:

Digamos que seu objetivo seja definido da seguinte maneira, “eu quero aprender inglês para fazer uma viagem de turismo”. Pronto! Você já tem algo em mente. É um começo! Agora tente imaginar as situações pelas quais você provavelmente passará em sua viagem:

  • Aeroporto (check-in, embarque, voo, desembarque, alfândega)
  • Pegar um táxi (pedir informações)
  • Hotel (check-in, possíveis problemas, pedir informações, check-out)
  • Ir às compras (perguntar preços, perguntar por produtos específicos, conversar sobre assuntos básicos com os vendedores, negociar o preço, etc.)
  • Ir a restaurantes e bares (diálogos com o garçon, pedir a conta, elogiar a comida, reclamar do serviço, etc.)
  • Fazer um passeio turístico (pedir informações, comprar lembrancinhas, perguntar sobre o local de passeio, etc.)

Acima estão apenas as situações principais pelas quais a pessoa terá de passar. Com essa lista, já é possível ter uma ideia do que realmente é preciso estudar. Em outras palavras, já se tem uma noção do caminho a percorrer: “Aprender inglês para me virar mesmo que basicamente nessas situações”.

Você tem um objetivo maior e também alguns passos menores para ajudar você a atingir o objetivo estabelecido.

2. Estudar Gramática ou Vocabulário?

Infelizmente, a nossa tradição de aprendizado de língua se resume a aprender (decorar) regras gramaticais e um monte de palavrinhas soltas. Vários livros e escolas de idiomas perpetuam essa ideia simplista e errônea na cabeça de muita gente.

Isso faz com que o inglês se torne algo chato, complicado e demorado.

Portanto, saiba que você não precisa passar horas e horas fazendo atividades de gramática e muito menos listas e mais listas de nomes de objetos, verbos, sentimentos, cores, membros da família e coisas assim. Em outras palavras, desprenda-se da visão tradicionalista e aprenda coisas que ajudará você a atingir os seus objetivos.

Assim, você poderá decorar frases completas usadas em determinadas situações. Aprender a gramática de modo mais natural (a gramática contida dentro das frases que aprende). Aprenda também palavras que são usadas com outras palavras dentro das situações e contextos que ajudarão você a atingir seu(s) objetivo(s).

Não fique só nos livrinhos de regras gramaticais e nos de palavrinhas isoladas (phrasal verbs, gírias, expressões idiomáticas, etc.). Vá além! Pense em situações específicas nas quais você se vê envolvido futuramente.

3. Que livros usar?

Você precisa ter um material de estudo. O problema é que atualmente há muitas coisas disponíveis:  livros,sites, blogs,  fóruns, dicionários, material de áudio (podcasts), comunidades, cursos… Enfim, uma infinidade de recursos. Então, que material você deve usar?

Na dica “Livros de Inglês Para Estudar Sozinho“, você encontrará alguns livros que serão úteis no seu aprendizado. Você não precisa comprar todos, mas pelo menos alguns que ajudarão você de modo diferenciado para alcançar o seu objetivo.

Já a internet pode ser usada como material de apoio. Para isso, escolha pelo menos dois/três sites de confiança para ajudar você a tirar algumas dúvidas de vez em quando. Aprenda a usar os sites: ferramenta de buscas, categorias de dicas e coisas assim. Participe também de uma comunidade onde haja pessoas querendo aprender e ensinar inglês. São essas pessoas que poderão ajudar você a tirar dúvidas, a aprender algo novo, a dar uma ideia diferente para estudar de modo mais eficiente.

4. Encontre Tempo para Estudar

Estudar uma só vez por semana é perda de tempo. Também não adianta entrar em um escola de idiomas, estudar duas horinhas por semana e achar que está de bom tamanho. Encontre tempo para estudar todos os dias! Organize-se! Deixe-me falar um pouco mais sobre isso.

Suponhamos que sua viagem de turismo aos States esteja marcada para daqui três meses. Claro que não vai dar para falar inglês como um nativo nesse período de tempo. Mas, você pode se esforçar (dedicar) para aprender as sentenças mais comuns nas situações que imaginou.

Você tem três meses para se preparar. Portanto, pode estudar o vocabulário (sentenças, expressões, frases, etc. — o que eu chamo de chunks of language) comuns a cada situação em cada semana. Ou seja, na primeira semana você estuda o que precisará para passar pela situação de aeroporto. Na segunda semana, revisa o que aprendeu sobre o aeroporto e começa a estudar o que precisará para pegar um táxi e conversar com o taxista. Na terceira semana, revisa o conteúdo das duas últimas semanas e passa para algo novo, compras por exemplo.

Você logo notará que uma semana é pouco tempo para aprender tudo sobre uma situação. Porém, você tem três meses até a viagem. Isso dá um total de 12 semanas, mas você dispõe apenas de 10 semanas. Assim, durante essas 10 semanas, você poderá fazer o seguinte:

  • Dedicará 2 horas por dia para estudar inglês formalmente: ler textos, escrever diálogos, repetir frases em voz alta, ouvir o material de áudio, etc. Vamos às contas: 10 semanas x 07 dias = 70 dias. Logo, 70 dias x 2 horas = 140 horas. [Observe que a maioria dos cursos de inglês no Brasil vende uma média de 40 a 45 horas no semestre]
  • Além das duas horas formais, você também se envolverá com a língua inglesa em outros horários: ao escrever algo procurará escrever em inglês, quando estiver na fila de um banco descreverá o que vê em inglês, já na sala de espera do dentista você imaginará diálogos que possam ocorrer na sua viagem, no banheiro (tomando banho ou seja o que for) você pensará em inglês. Enfim, envolva-se com a língua: leia em inglês, escreva em inglês, escute em inglês e fale sozinho em inglês. Isso aumenta a quantidade de horas com as quais você estará envolvido com a língua inglesa.

Se você levar esse negócio a sério, em 10 semanas será capaz de aprender o básico para se virar razoavelmente bem em sua viagem de turismo. Para ser sincero, você estará muito melhor do que muita gente que deixa para aprender inglês da noite para o dia. Saiba mais sobre o tema tempo lendo a dica “Arranjar Tempo Para Estudar Inglês Inglês

Repito: você não falará inglês como um falante nativo, não entenderá tudo o que ouvir, não conseguirá dizer tudo o que desejar, não será capaz de discutir a política monetária externa brasileira e muito menos a mais recente descoberta no campo da astrofísica. Mas, será capaz de se virar nas situações mais simples estabelecidas por você

Encontre mais ideias para colocar o inglês na prática, lendo a dica “Como eu me tornei fluente em inglês?“.

5. Conclusão

Foque nos micro-objetivos que levarão você a alcançar o seu macro-objetivo. Organize-se! Encontre tempo! Invista em material! Envolva-se com a língua! Para saber por onde começar os seus estudos de inglês, você precisa antes saber quais são seus objetivos em relação à língua. Enquanto você não definir isso, continuará agindo como o cachorro que corre atrás do próprio rabo.

Essa dica tem como base o livro Inglês na Ponta da Língua – método inovador para melhorar o seu vocabulárioe apostilas do curso online Aprender Inglês Lexicalmente (para se inscrever na próxima turma, clique aqui).

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s