Usos da terminação -ing # (indicando FUTURO também)

English Material  /  Private Classes  /   Teacher Nicole Tavares  /  email: nicole_tavares@hotmail.com  /  https://nicoletavares.wordpress.com/

Usos da terminação -ing

por Adir Ferreira | 09/11/2008

Antes de começarmos a estudar a terminação –ing, vamos esclarecer uma coisa. Gerúndio, em português, é a terminação –ando, -endo, -indo, -ondo. Em inglês, a palavra gerund (que é o verbo com a terminação –ing) tem outros usos, além do gerúndo da língua portuguesa.

1) O uso mais conhecido é como parte do tempo verbal Present Continuous (ou Progressive). Tal tempo tem dois usos: indicar uma ação acontecendo no momento e indicar também futuro.

I am reading an article about the –ing ending right now. (presente)
She is leaving tomorrow morning. (futuro)

As formas reading leaving têm o nome de present participle e não gerund.

Alguns verbos chamados Stative verbs, como know, understand, believe, like, decide, seem, hate, want, entre outros, não têm a forma do Present Continuous então não aceitam –ing, com sentido de ação acontecendo agora ou futura.

2) Chamamos de gerund quando a terminação –ing é usada com um verbo e a função de tal verbo é de substantivo. Dêem uma olhada nas seguintes frases.

New York is fun.
German is difficult.
That is a hamburger.

Quais das palavras acima são substantivos? Fácil, né: New York, German e a hamburger. Dissemos que algo (substantivo) era alguma coisa (adjetivo). Agora, e se quisermos dizer que uma ação é divertida (por exemplo jogar futebol), ou difícil (aprender chinês) ou simplesmente dizer o que é uma ação? Veja as frases sem os substantivos.

__________ is fun.
__________ is difficult.
That is _______________.

É ai que entram os verbos com a terminação –ing.

Playing soccer is fun. (Jogar futebol é divertido)
Learning Chinese is difficult. (Aprender chinês é difícil.)
That is tap-dancing. (Isso é sapateado.)

Nas frases acima as palavras playinglearning dancingparecem verbos, mas não são. São substantivos pois respondem a pergunta, “O quê?”. O que é divertido? O que é difícil? O que é isso?

Até mesmo os Stative verbs podem ser transformados em substantivos. Veja alguns exemplos:

Believing in God is important.

Como os gerunds funcionam como substantivos, eles podem vir acompanhados de adjetivos possessivos, como my, your, his, her, etc. E também podem vir acompanhados de ‘s.

Her cooking is terrible.
John’s driving scares me.

USO AVANÇADO

1.

I have been to England. – Eu estive na Inglaterra.
My having been to England has helped me with my English. – (O fato de) Eu ter estado na Inglaterra me ajudou com meu inglês.

I took a physics class. – Eu fiz aula de física.
Having taken a Physics class helped me in calculus. – (O fato de eu) Ter feito aula de física me ajudou em cálculo.

I was accepted to Brown University. – Eu fui aceito na Universidade Brown.
Being accepted to Brown University was the best thing that has ever happened to me. – (O fato de eu) Ser aceito na Universidade Brown foi a melhor coisa que já aconteceu comigo.

We got scared by that movie. – Nós nos assustamos com aquele filme.
Getting scared by that movie made us leave before it ended. – (O fato de nós) Nos termos assustados com aquele filme nos fez ir embora antes que ele acabasse.

  1. Alguns verbos são seguidos de gerund, eis uma lista e alguns exemplos:

Admit, avoid, be worth, can’t help, can’t stand, consider, deny, enjoy, entre outros.

He admitted stealing her purse.
It’s not worth trying.
“I can’t help falling in love with you.”
I can’t stand seeing you like this.
Have you considered moving to another city?
He denies stealing her purse.
Do you enjoy cooking?

  1. O verbogo é usado em várias expressões fixas com gerund.

go birdwatching – go boating – go bowling – go camping – go canoeing – go dancing – go fishing – go hiking – go hunting – go jogging – go kayaking – go mountain climbing – go running – go sailing – go shopping – go sightseeing – go skateboarding – go skating – go skiing – go skinnydipping – go sledding –
go snorkeling – go swimming – go tobogganing – go window shopping

Vamos praticar? Veja o exemplo e faça o mesmo com as frases a seguir. Em breve colocaremos a resposta.

  1. I watch birds fly. It is very relaxing. –> Watching birds fly is very relaxing.
    2. Jack got hit by a ball. That sent him to the hospital.
    3. You should brush your teeth twice daily. That is what the dentist recommends.
    4. Frank was warned about drinking and driving . It forced him to be much more careful on the highway.
    5. She wants to be a journalist. It is her dream.
    6. We have studied Spanish. This helped us on our trip to Barcelona.

Referência: www.myenglishteacher.net (Adaptado)

See you next time!

=========================

Outra excelente explicação:

Uso do Will no presente e -ing no futuro
por Autor Convidado | 01/07/2015 | 7 comentários

Ygor Aragão pergunta: Uma das minhas dúvidas é o uso do “will”, o que me daria uma ideia de futuro. Se fosse para traduzir a frase “Por que você não fala comigo?” para o inglês eu diria: “Why don’t you talk to me?” No entanto, canso de assistir filmes e já ouvi em podcasts: “Why won’t you talk to me?”. As duas formas estão corretas? Por que? Também percebi uma forma no presente como “I’m staying in here” para “Eu vou ficar aqui”, o que é meio confuso para mim, já que eu traduziria para o inglês algo como “I’m going to stay here” ou “I will stay here”. Qual está correta?

Olá Ygor,

Sua dúvida tem origens no fato de que, enquanto estudante de inglês, você foi condicionado a enxergar will exclusivamente como um “auxiliar do futuro”: quando will é, na verdade, um termo com uma variedade de usos distintos, oriundos de uma série de desdobramentos linguísticos e etimológicos iniciados há dezenas de séculos. Em outras palavras, é de pouca ou nenhuma valia tentar reduzir um vocábulo a uma regra, e questionar o porquê de quaisquer usos que fogem a esta regra. Assim, devemos evitar o uso do Português como base para tudo aquilo que vemos ou escutamos em inglês, e a ideia de que o idioma deve qualquer satisfação por suas aparentes peculiaridades. O termo will possui empregos que extrapolam a regra reducionista “auxiliar do futuro”.

1 – Usamos will para falar de hábitos do presente:

He will come home late (= he has a habit of coming home late) even though he knows his mother doesn’t approve of it. [Ele tem o hábito de chegar em casa tarde, mesmo quando ele sabe que sua mãe desaprova isso.]
2 – Para comentar sobre um fato natural, sem qualquer relação com o futuro:

A plane will fly (= a plane flies) without a propeller, but it won’t fly (= it doesn’t fly) without a pair of wings. [Um avião voa sem hélice, mas não voa sem um par de asas.]
3 – Para falar sobre ocorrências inconvenientes, no presente:

The car won’t start! [O carro não dá partida!]
The video won’t load! [O vídeo não carrega!]
will5

3 – Para comentar sobre verdades amplamente aceitas:

Sometimes, bad things will happen (= bad things happen) to good people. [Às vezes, coisas ruins acontecem com pessoas boas.]
4 – Ou para emitir uma ordem / realizar um pedido:

Will you please close the door? [Você poderia fechar a porta por favor?]
Will you dance with me? [Dança comigo?]
will

5 – Vale lembrar que um dos pedidos mais populares do idioma utiliza will:

Will you marry me? [Quer casar comigo?]
will3

Estes são apenas alguns dos empregos de will que não necessariamente possuem relação, ou são traduzidos para o português, como futuro. Não há uma explicação para tal. O termo, ao longo de sua longa evolução, simplesmente passou a ser usado de tais maneiras. Associamos will ao futuro por questões meramente didáticas – não porque a palavra foi exclusivamente “criada” com este propósito.

Why won’t you talk to me? [Por que você não fala comigo?]
Esta é uma frase comum e natural em inglês. Will, neste caso, é usado para sinalizar uma intenção (ou falta de intenção). Por exemplo:

He won’t listen to me. [Ele não quer me escutar.]
Why won’t he listen to me? [Por que ele não me escuta?]
She won’t talk to us. [Ela não quer falar conosco.]
Why won’t she talk to us? [Por que ela não quer falar conosco?]
The cat won’t come down. [O gato não desce.]
Why won’t the cat come down? [Por que o gato não desce?]
Em resposta à sua pergunta, usar o presente simples, neste caso, não seria gramaticalmente incorreto, mas tornaria a frase consideravelmente menos natural, ou alteraria seu sentido. Como dito, não há uma explicação simples e objetiva – este é apenas um dentre os muitos empregos de will e won’t. Sugiro que você procure o termo will em um dicionário monolíngue. Você encontrará estes e muitos outros empregos, com explicações e exemplos de uso em contexto. Tome o seguinte verbete do OALD como ponto de partida e explore as possibilidades oferecidas.

O uso de “ing” para expressar o futuro

De forma geral, pode-se usar o present continuous (verbo + ing) para expressar um evento certo, já planejado, a ocorrer no futuro. Exemplos:

We’re leaving in a minute. [Nós iremos embora logo.]
She’s not backing down. [Ela não vai desistir.]
We’re not going. [Nós não iremos.]
Im not giving up on love im giving up on-you-quote

O seguintes links abordam o assunto em maior detalhe:

Futuro em Inglês Explicado Detalhadamente
Exercício: Present Continuous & Going to – Futuro
Present Continuous For Future Arrangements
O objetivo deste post não foi exaurir a gramática relacionada ao assunto, mas abrir sua mente para o fato de que o inglês, como qualquer idioma, não é uma ciência exata. Tentar “regrar” o idioma significa, muitas vezes, engessá-lo e dificultar seu aprendizado. Se escutar este tipo de expressão em filmes e podcasts, simplesmente assimile-os como um falante nativo o faria. Notei, por exemplo, que, mesmo escutando a expressão e entendendo o seu sentido, você tentou obter uma resposta sobre o porquê de a mesma ter sido usada desta maneira. O Inglês e o Português são idiomas diferentes, e há pouca utilidade em tentar compará-los ou entender as minúcias e motivos por detrás de cada fenômeno linguístico. Você dificilmente questionará o porquê de determinada estrutura uma vez que a assimile de forma natural e a incorpore em seu vocabulário ativo.

No mais, espero ter ajudado. Bons estudos!

Sobre a autora: Juliana Oliveira Rios é servidora pública e amante da língua inglesa desde a adolescência. Aos vinte anos, teve a primeira oportunidade de experienciar o idioma em primeira mão, quando estudou inglês nos Estados Unidos durante um ano. Autodidata e aficionada por linguística, utiliza o site do English Experts como ferramenta de compartilhamento de conhecimento e aprendizado nas horas vagas.

http://www.englishexperts.com.br/2015/07/01/uso-do-will-no-presente-e-ing-no-futuro/?lang=pt-br

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s